sexta-feira, 30 de outubro de 2009

CANTARES X


X

No canto do mundo
Há um doce estranhamento.
Minha pouca vestimenta
É uma grande ameaça
Para quem não fala
Minha estranha língua.
Quem ousa entrar
Na casa dos meus ontens
Sem nojo do meu grito?
Estou à beira de uma palavra
E nada salva
Esta última chama acesa.

5 comentários:

Henrique Pimenta disse...

Um gole à última chama!

Moacy Cirne disse...

Maravilha, Menina.
Balaiografado, hoje.

Um beijo.

Moacy Cirne disse...

Oi Oi Oi.
Um Balaio procê.
Hoje.
Um beijo procê.
Sempre.

Liebe Lima disse...

Oi flor...

Que bebida boa...essa sua palavra acesa!

Vai lá no meu cantim.

Liebe

Maria Maria disse...

Esse poema é de uma maturidade ímpar! Só poetas de verdade, como você, são capazes de escrever com esse TANTÃO assim!

Beijos,

Eme